Saiba o que é o fator R e como ele impacta sua empresa

Saiba o que é o fator R e como ele impacta sua empresa

Alguma vez você já se assustou com uma mudança de alíquota não esperada? Pois é, muito provavelmente é uma consequência do fator R. 

O fator R é um cálculo realizado para determinar se empresas ME ou EPP serão tributadas pelo Anexo lll ou Anexo V da tabela do Simples Nacional. Em outras palavras, ele facilita a vida do médio e pequeno prestador de serviços. Esse fato se dá pois para o Simples Nacional, o cálculo do tributo que deve ser pago não leva em consideração as despesas e nem o lucro das empresas, apenas o faturamento.

O fator R se dá pela divisão da soma da folha de pagamento dos últimos 12 meses, sob o faturamento dos últimos 12 meses. Veja o exemplo abaixo: 

Ao ser feito o cálculo, deverá se verificar se o Fator R é igual ou superior a 28%, onde será tributado pelo anexo V, e inferior a 28% será tributado pelo anexo lll. 

Sendo assim, a empresa deve observar e manter o equilíbrio entre eles, para que a porcentagem não ultrapasse os 28% e assim não correr o risco de recolher impostos com alíquotas maiores. 

Em relação a empresas de pequeno porte, em sua grande maioria, como não possuem muitos funcionários, possuem uma grande vantagem em relação ao fator R. A migração que o fator R disponibiliza, é baseada na Lei Complementar nº 155/2016 que diz que: “II – no caso de empresa de pequeno porte, aufira, em cada ano-calendário, receita bruta superior a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) e igual ou inferior a R$ 4.800.000,00 (quatro milhões e oitocentos mil reais)”.

Já para novas empresas, no cálculo deverá ser feita a média dos 12 meses como o exemplo abaixo: 

Logo, a maior vantagem do fator R, é poder se enquadrar no Anexo lll e nele poder pagar menos impostos. Existem serviços que anteriormente se enquadravam no Anexo V, onde a alíquota é maior. Com essa opção de migrar para o anexo lll, de acordo com a porcentagem do fator R, muitas empresas conseguem recolher valores menores e assim conquistar uma maior eficiência fiscal. 

Nenhum comentário

Adicione seu comentário