Declaração completa ou simplificada? Tire suas dúvidas sobre o Imposto de Renda

Declaração completa ou simplificada? Tire suas dúvidas sobre o Imposto de Renda

Conhecendo muito bem a maior preocupação das pessoas com relação à impostos, elaboramos aqui um guia completo para sanar as principais dúvidas para iniciantes no assunto Imposto de Renda.

É muito comum ouvir que “todo mundo tem que declarar imposto”, mas quem realmente é todo mundo? Saiba aqui se você se encaixa nos critérios que tornam a declaração compulsória para 2021: 

Brasileiros que tiveram rendimento tributável com valor igual ou acima de R$28.559,70 durante o ano de 2020;

Rendimentos tributáveis e não tributáveis vindos direto da fonte com valor igual ou acima de R$40.000,00;

Quem passou a ter posse de bens cujo valor seja igual ou maior a R$300.000,00;

Teve algum ganho de capital sobre alienação de bens e direitos;

Cidadãos que chegaram a fazer ações na bolsa de valores, mercados futuros ou atividades correlacionadas;

Todos que venderam imóveis residenciais e obtiveram ganho na operação, mesmo que tenha comprado outro imóvel em um prazo de 180 dias e usaram da regra de isenção do imposto de renda;

Brasileiros que exercem atividade rural e que chegaram a ter renda com valor igual ou acima de R$142.798,50.

Bom, agora que você já sabe se 2021 é seu ano de fazer a declaração é importante conhecer as diferentes maneiras de fazê-la. Existem dois formatos de declaração: a completa e a simplificada. 

A escolha entre a declaração completa ou simplificada no Imposto de Renda depende das despesas que você possui para deduzir. Se você tem filhos como seus dependentes, paga escola particular, plano de saúde e ainda contribui com previdência privada, são grandes as chances de o modelo completo ser a melhor opção. Para quem tem poucas despesas dedutíveis, pode ser melhor preencher o modelo simplificado, que considera um desconto padrão de 20% sobre a base de cálculo do imposto, limitado a R$16.754,34. No modelo simplificado, a Receita aplica um desconto padrão de 20% sobre todos os rendimentos tributáveis recebidos no ano anterior, não importando quais deles podem ser abatidos. Dessa forma, é indicada para quem tem apenas uma fonte de renda e não tem muitas despesas para deduzir como dependentes, despesas médicas ou com educação.

Já a declaração completa, é indicada para quem tem mais gastos a deduzir, como filhos incluídos como dependentes, escola particular, plano de saúde, fundos de previdência privada e outros gastos dedutíveis. Isso porque esse modelo de declaração permite detalhar todos esses gastos extras, que podem ser restituídos depois. Para simplificar, a principal diferença entre a declaração simplificada e a completa é em relação ao abatimento sobre os rendimentos tributáveis (salários, pensões, aluguel, entre outros). Na simplificada, o desconto é de 20%, limitado a, no máximo, R$16.754,34. Já na completa, não há limite – o contribuinte deve informar gastos passíveis de dedução para apurar o abatimento.

Por fim, a última coisa que você tem que se preocupar são os prazos que devem ser respeitados para a declaração do Imposto de Renda de 2021. Para este ano, as datas ainda não foram divulgadas, mas tradicionalmente começa na primeira semana de março e se encerra em 30 de abril. Por isso, é importante já começar a juntar as papeladas para facilitar o processo e não deixar para última hora. Além disso, os contribuintes que fizerem o pagamento logo no início do prazo, possuem grande chance de receber a restituição mais cedo! Segue a dica e qualquer dúvida é só procurar um especialista MHM.

Nenhum comentário

Adicione seu comentário